“MPF denuncia 5 militares reformados pela morte de Rubens Paiva
Eles vão responder pelo homicídio e ocultação de cadáver do ex-deputado.
Em março, coronel revelou torturas na ditadura à Comissão da Verdade.
Do G1 Rio – 19/05/14(...)
(...)Novas provas
O MPF-RJ elaborou a denúncia após obter novas provas do caso no sítio do coronel reformado do Exército Paulo Malhães no dia 24 de abril. Ele morreu em casa nesse dia, depois que a casa foi invadida por três homens armados. Um mês antes de morrer, Paulo Malhães, de 76 anos, revelou à Comissão da Verdade que o corpo do ex-deputado Rubens Paiva, morto em 1971 durante a ditadura militar, foi jogado em um rio de Itaipava, na Região Serrana do Rio.

Ele falou também de outras pessoas torturadas no local que ficou conhecido como "Casa da Morte", em Petrópolis, na Região Serrana. Malhães coordenou o Centro de Informações do Exército no Rio (CIE) durante a ditadura militar.
Após mandado de busca e apreensão na casa de Malhães, o MPF-RJ apreendeu documentos que comprovavam a participação dos cinco militares denunciados nos crimes. Durante as investigações, o coronel Raymundo Ronaldo Campos também confessou que a "fuga" de Rubens Paiva foi uma "encenação cinematográfica". O Ministério Público Federal afirma que tem a confissão gravada.
Em declarações publicadas no jornal "O Globo", em março, o coronel Paulo Malhães também já havia revelado o destino dado ao corpo do ex-deputado Rubens Paiva. Ele foi torturado e morto em dependências militares no Rio. Segundo Paulo Malhães, os restos mortais foram enterrados numa praia e, mais tarde, desenterrados e jogados ao mar.”

Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/05/mpf-denuncia-5-militares-reformados-pela-morte-de-rubens-paiva.html

Observação do site www.averdadesufocada.com : Queima de arquivo ou oportunidade para “plantar” papéis ?
Pelo desenrolar dos fatos, provavelmente, ninguém mais insinuará que a morte do coronel Malhães foi queima de arquivo, pois somente um débil mental iria matar uma pessoa para que nada mais fosse revelado, deixando documentos e dois ou três computadores na casa, como a imprensa noticiou.
Tempo para procurar e carregar o que quisessem tiveram... Segundo a imprensa, ficaram na residência por cerca de 7 ou 9 horas. Se não levaram os documentos e os computadores, provavelmente, eles teriam mais utilidade se fossem encontrados em futuras buscas...

 

Adicionar comentário