Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 5720

 MANIFESTO À NAÇÃO BRASILEIRA

dor de perda irreparável e de luto tomava conta de nossos corações e nos víamos órfãos dentro de tenebroso caos. A Nação à deriva. Seu território seccionado; estrangeiros, disfarçados em Ongs, comandavam índios brasileiros contra brasileiros, açulados por interesses escusos.Nossas representações ao Superior Tribunal Militar, queixas junto ao comandante do Exército e representação ao Procurador Geral da Republica caiam no vazio.

Texto completo

A malsinada Reserva Indígena Raposa Serra do Sol feita, ao arrepio do parecer das Forças Armadas, em área continua, atenta contra a Soberania Nacional.A Pátria estava em profunda letargia, inobstante o trabalho de alguns maçons contra esse bárbaro estado de coisas.A imprensa noticiava constantemente a existência de focos de guerrilha na Amazônia, informava a existência de rota de tráfego de drogas, chamada gaiatamente de transcocaleira, e, segundo consta, 10% dos índios da região viciados em drogas ou a serviço delas.

Área rica em minerais estratégicos e preciosos está sob o comando de organizações estrangeiras que verberavam a expulsão dos brasileiros da região.A Funai, essa genocida, também apoiava a expulsão de brasileiros do Brasil e, despudoradamente, o governo, por seu ministro da defesa e da justiça (deliberadamente com minúsculas), pediam às Forças Armadas para expulsar os brasileiros da Amazônia.

As Forças Armadas, cientes da sua missão constitucional, em ato digno e viril, recusaram-se a agir contra brasileiros, que desejavam apenas trabalhar dentro de sua pátria.O mesmo não se pode dizer da Policia Federal, que aceitou a infame missão de tentar expulsar brasileiros do Brasil para entregar parte do território nacional a índios e ongs internacionais, dando início a processo de internacionalização da Amazônia, com perda de imensa parte do território nacional.

O pretexto da Funai seria preservar a cultura indígena, que mata três em cada dez crianças que nascem, que dá uma expectativa de 30 anos de vida, que revela a existência de tribos que falam duas línguas, a nativa e o inglês, ou espanhol venezuelano, que nega a integração dos índios brasileiros com os brasileiros, que lhes nega luz elétrica, educação, meios de produção, saúde pública, televisão, geladeira e outros bens, que tornam a vida mais longa, saudável e feliz.

Todavia, quando tudo parecia perdido, o Governador de Roraima ingressou no Supremo Tribunal Federal, com pedido de suspensão da expulsão de brasileiros do território nacional e foi atendido liminarmente.Mas não é só. Ouviu-se a voz do Comandante da Amazônia, General Augusto Heleno, que, com fundados motivos, considerou a Reserva Indígena Raposa Serra do Sol, continua, ameaça à Soberania Nacional.

Isto faz renascer as esperanças. As Forças Armadas não estão, como parecia, desarmadas e mortas. Vivem e estão prontas à defesa da Pátria!

Lula não pode cobrar o general por crítica à Reserva. Deve cumprimentá-lo por se expor em defesa do Brasil.E o interlocutor escolhido para a cobrança ao General parece não qualificado para tanto.Com efeito, é o mesmo que pretendeu internacionalizar as nossas Forças Armadas, tirando-lhes o comando e atribuindo-o ao um Conselho Sul Americano de Defesa.
É d´escachar!


Felizmente o Brasil ainda tem Militares preocupados com a Soberania Nacional e capazes de exercê-la, mesmo contra aqueles que ao arrepio da Constituição por ela não zelam.
Parabéns, General Augusto Heleno. A Pátria lhe agradece.


Vinicius F. Paulino - Membro da Loja Maçônica Minerva Paulista

Paulo Von Bruck de Lacerda – Membro da Loja Maçônica Minerva Paulista

Márcio Marrone - – Membro da Loja Maçônica Minerva Paulista

Marco Antônio Lacava - – Membro da Loja Maçônica Minerva Paulista