Comentários   
#6 Roberto Albernaz 08-04-2014 14:54
Esses ex-terroristas dão um belo exemplo para a sociedade de democracia.O que diria a população se não tivessem os militares a seu lado para os defenderem? Comissão da verdade para apurar esses indivíduos?Para que?
#5 Roberto Albernaz 07-04-2014 06:45
Em nenhuma país do mundo terrorista é considerado combatente.Eles cometam assassinatos independente do que encontram pela frente.Um episódio marcante do que estou relatando é o assassinato do empresário Boilensen,o qual foi metralhado em plena rua pública próximo de uma feira por esse mesmo indíviduo terroristra e Demente,onde alguns cidadãos estavam tranquilamente fazendo suas compras.Fugiu do país com o rabo no meio das pernas cagando pelo toprnozelo e vem se dizendo combatente...Nu nca respondeu pelos seus atos criminosos e defensor assíduo do então Terrorista Carlos Marighella( apaixonado). É um demente...
#4 G 06-04-2014 15:04
E ainda querem obrigar os militares a pedir desculpas?!
#3 Maurício Giovani 06-04-2014 02:50
Olha como eles são bonzinhos! Enquanto estavam distribuindo carne nas favelas nem estavam preocupados com Stalin que matou o povo de fome na Ucrânia e com o assassino Fidel que já tinha dizimado milhares de cubanos em sua nefasta ditadura. Quanta bondade dessa gente bandida!
#2 Carlos Alberto Pires 05-04-2014 21:14
Clemente sentia prazer em executar pessoas covardemente e o sangue que corria em suas mãos as aqueciam e na boca experimentava o paladar adocicado do mel.
O tiro de misericórdia para ele tinha outra conotação. Era o tiro que caracterizava a operação como bem sucedida.
Agora se nos apresenta essa anomalia denominada Comissão Nacional da Verdade que nada mais é do que um Tribunal Revolucionário querendo punir somente os militares, eximindo a outra parte como alegada defensora da democracia. Quando na verdade seu objetivo único era a implantação do comunismo em nosso Pais.
Não fiquem estarrecidos se o Supremo Tribunal de Exceção petista derrogar a Lei da Anistia com sua nova composição.
#1 azambuja 05-04-2014 18:23
Esse cara, que nunca foi preso, e que em outra entrevista disse ter matado mais ou menos 10 pessoas (não se lembra o número exato), inclusive um capitão do Exército, hoje vive no Rio de Janeiro e dá aulas de violão para crianças, cujos pais desconhecem seus antecedentes...
Adicionar comentário