Trechos da matéria intitulada " Var-Palmares - Vanguarda Armada Revolucionária Palmares - O Racha", publicada no livro " A Verdade Sufocada - A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça - 9ª reedição -revisada e atualizada - Comemorativa dos cinquenta anos da Contrarrevolução de 31 de março de 1964 - de autoria do Cel Ref Carlos Alberto Brilhante Ustra:


 Em entrevistas à imprensa escrita e falada, Dilma, já como candidata à presidente da República, afirmou que lutava pela derrubada da ditadura, pela democracia e pela liberdade e que no Regime Militar, 

“pessoas eram perseguidas e mortas... E presas por crime de opinião e de organização, não necessariamente por ações armadas. O meu caso não é de ação armada. O meu caso foi de crime de organização e de opinião”.  

Deixamos aos nossos leitores dados para que façam uma avaliação a respeito da responsabilidade da militante Dilma Rousseff ao aderir às organizações que praticaram assaltos, assassinatos, sequestros, “justiçamentos”, atentados a bombas, sabotagens e outros crimes.

 Como podem  observar as pessoas dessas organizações não eram presas por crime de opinião. Algumas, mesmo não participando dos atos propriamente ditos, eram presas por crime de apoio logístico, planejamento e organização das ações armadas. Antes e após a prisão de Dilma, inúmeros foram os crimes praticados por terroristas provenientes de várias organizações. A VPR, ALN, VAR-Palmares, MOLIPO, PCBR, AP,  MRT, REDE, MR-8, PCR, PCdo B e outras, foram organizações subversivo-terroristas que, por mais de uma década, aterrorizaram o Brasil.

As declarações de Dilma, no entanto, são derrubadas por declarações de seus maridos, de camaradas de armas, de muitos companheiros das organizações em que militou: Polop, COLINA, e VAR-Palmares, Dilma, até a sua prisão, não se encarregava, apenas, de distribuir panfletos em porta de fábricas. Complementando mais algumas opiniões sobre sua atuação na luta armada leiam abaixo a reportagem da Revista Veja (http://veja.abril.com.br/150103/p_o36.html): 

“O cérebro do roubo do cofre

Alexandre Oltramari e Antonio Milena

A ficha nos arquivos militares de Dilma Rousseff, hoje ministra das Minas e Energia: só em 1969, ela organizou três ações de roubo de armamentos em unidades do Exército no Rio de Janeiro.

(...) O outro integrante do primeiro escalão com passagem pela guerrilha contra a ditadura militar é a ministra Dilma Rousseff das Minas e Energia - mulher de fala pausada, mãos gesticuladoras, olhar austero e passado que poucos conhecem. Até agora, tudo que se disse a respeito da ministra dava conta apenas de que combatera nas fileiras da Vanguarda Armada Revolucionária Palmares, a VAR - Palmares, um dos principais grupos armados da década de 70. Dilma Rousseff, no entanto, teve uma militância armada muito mais ativa e muito mais importante . Ela, ao contrário de José Dirceu, pegou em armas, foi duramente perseguida , presa e torturada e teve papel relevante numa das ações mais espetaculares da guerrilha urbana no Brasil - o célebre roubo do cofre do governador paulista , Adhemar de Barros, que rendeu 2,5 milhões de dólares(...)

(...) A ação durou 28 minutos e foi coordenada por Dilma Rousseff e Carlos Franklin Paixão Araújo, que então comandava a guerrilha urbana da Var-Palmares em todo o país e mais tarde se tornaria pai da única filha de Dilma. O casal planejou, monitorou e coordenou o assalto ao cofre de Adhemar de Barros. Dilma, no entanto, não teve participação física na ação. “ Se tivesse tido não teria nenhum problema em admitir”,  diz a ministra, com orgulho de seu passado de combatente. (...)

(...)”A Dilma era tão importante que não podia ir para a linha de frente. Ela tinha tanta informação que sua prisão colocaria em risco toda a organização. Era o cérebro da ação” , diz o ex-sargento e ex-guerrilheiro Darcy Rodrigues, que adotava o codinome “Leo”(...)

(,,,) “ Quem passava as orientações do comando nacional para a gente era ela”. O ex-sargento conta que uma das funções de Dilma era indicar o tipo de armamento que deveria ser usado nas ações e informar onde poderia ser roubado. Só em 1969, ela organizou três ações de roubo de armas em unidades do Exército, no Rio. (...)” 

Segundo o parecer do jurista Luiz Flávio Gomes, “Ocorre co-autoria (no Direito Penal) quando várias pessoas participam da execução do crime, realizando ou não o verbo núcleo do tipo. Todos os co-autores, entretanto, possuem o co-domínio do fato. Todos praticam fato próprio. Enquanto o co-autor participa de fato próprio, o partícipe contribui para fato alheio. Três são os requisitos da co-autoria:
1) pluralidade de condutas;
2) relevância causal e jurídica de cada uma;
3) vínculo subjetivo entre os co-autores (ou pelo menos de um dos
co-autores), com anuência ainda que tácita do outro ou dos outros co-autores”.

A Var-Palmares atuou por quatro anos. Com as quedas que ocorreram durante os anos de 1970 e 1971,  praticamente, foi desbaratada como organização, retraindo-se em suas atividades e realizando contatos com outros grupos visando a uma possível fusão.

Apesar de, no final de 1971, já se encontrar em vias de extinção, ainda se manteve em atividade durante 1972 e 1973, sofrendo um sério abalo em outubro desse ano, após um acidente automobilístico que causou a morte de seu dirigente, James Allen Luz.

Dentre as principais ações da VAR-Palmares destacamos, os brutais e traiçoeiros assassinatos do marinheiro inglês e do Dr Octavio Golçalves Moreira Júnior.

 

Comentários  
#5 Milton 15-02-2014 16:13
Acorda Brasil!
#4 Milton 14-02-2014 18:27
Parabéns Vinicius. Assim, que se fala.
#3 VINICIUS M.O. VERDAD 13-02-2014 08:44
Acusamos aqui, que, o texto "INIMIGOS DA DEMOCRACIA", não deixou o autor, espaço para responde-lo. Está direcionando-no s ao facebook ou twtters ... Não sabemos por que? Todavia, quem sabe quer expandir mais, pois, os inimigos da democracia estão aí, espalhados, falando, governando, enfim, "dando as cartas" ao poder fedorento. Comunistas fora! Fora comunistas, no Brasil não é o lugar. Acordem povos do Brasil, já que, existem vários "brasis", coloquemo-os em retirada. Vamos lá, patetas ...
#2 VINICIUS M.O. VERDAD 13-02-2014 08:35
Não há dúvidas de que fomos muito benevolentes no passado. Criou-se no país, várias serpentes venenosas que, hoje no poder fedorento - "desacatam a constituição FEDERAL, TÃO RECLAMADA POR ELES ... DESACATAM AS LEIS, CRIANDO-SE OUTRAS À MENEIRA DE GUERRILHEIROS E TERRORISTAS". Portanto, hoje, não sabemos por onde pisamos. Graças a bondade daqueles que concederam a "anistia ampla geral e irrestrita", assim, quem paga? É o próprio povo brasileiro e as FFAA ... Infelizmente, os quatro patetas apenas assistem ...
O STF, que pelo art. 102 é o guardião das C.F, não é acionado pelo M.P. para agir, pois, a Wanda, Estela, está totalmente inconstituciona l. Portanto, urgem providências: colocar na cadeia o ali baba que se diz ser o dono do poder, juntamente com e megera excremento. O nove dedos está bilionário, dá maus exemplos a todo o momento e, usa o poder regido pelos postes implantados por todo o país ... Retomar todas as verbas públicas desviadas pelos fedorentos=tril hão.
#1 domenico 12-02-2014 22:13
Por isso, cabe-lhe bem o apelido-interna uta de banDilma !!!
Adicionar comentário