Por Vladimir Petrilak
Nas imagens, vemos dois importantes intelectuais uruguaios, ambos já falecidos, que têm lugar de honra na história intelectual de seu país. O primeiro possui até uma fundação que leva seu nome, e ambos são autores de muitas publicações que denunciam a natureza maligna do “imperialismo” americano e do capitalismo em geral. Eles diziam-se socialistas, não comunistas. Possuíam uma mesma característica, além de se conhecerem e terem atuado no mesma época, eles foram agentes por um longo período e muito bem avaliados pelo serviço de inteligência comunista tchecoslovaco, o Diretorado I (Departamento I – inteligência no estrangeiro) da StB.

Artigo completo

Um pouco de História sobre a Luta Armada no Brasil
Por Carlos I. S. Azambuja
“A complacência de hoje é paga  com as angústias de amanhã.E se ela persiste, com o sangue de depois de amanhã” (Suzanne Labin, livro “Em Cima da Hora”)
O período de violência armada, nos anos 60 e 70, foi um tempo em que, em todo o mundo, se propalava que o capitalismo estava com os dias contados. Um tempo em que as revoluções de esquerda eram consideradas iminentes, segundo aquela modelada pelos guerrilheiros cubanos que instalaram em Cuba uma república democrática popular (ou seja, um governo do povo popular, pleonasmo que se prolonga até hoje!) e procuravam estender esse pleonasmo a todo o continente; ou ainda, segundo aquela copiada do livrinho vermelho de Mao-Tsetung, de guerra popular prolongada.
 Ensaio sobre o Terror
Por Carlos I. S. Azambuja- Fonte:  Alerta Total – www.alertatotal.net
Definir o que seja TERRORISMO de uma forma aceitável a todas as pessoas e Estados não é uma tarefa fácil, uma vez que o termo dá margem a interpretações diversas. Conforme a situação, aqueles que para uns são terroristas, para outros são “combatentes da liberdade”. Nos anos 80, na NICARÁGUA, por exemplo, para os sandinistas, os “Contra” eram considerados terroristas, e definidos pelo presidente RONALD REGAN como “combatentes da liberdade”. 
Até mesmo a ONU, até hoje, durante todos os seus mais de 50 anos de existência não foi capaz de desenvolver uma definição precisa capaz de distinguir o TERRORISMO de outros crimes.
Inicialmente, pode ser afirmado que o TERRORISMO é uma forma de propaganda armada. É definido pela natureza do ato praticado e não pela identidade de seus autores ou pela natureza de sua causa. Suas ações são realizadas de forma a alcançar publicidade máxima, pois têm como objetivo produzir efeitos além do dano físico imediato.
Entre algumas definições existentes, poderá ser adotada a seguinte: