Dilma e Franklin - mentores do Portal

 Pela editoria do site www.averdadesufocada.com
Está desfalcada a equipe do Portal Memórias Reveladas. O professor Carlos Fico, pesquisador e historiador da UFRJ, pediu demissão do cargo de presidente substituto da Comissão de Altos Estudos  do Memórias Reveladas, segundo reportagem do jornal O Globo de 03/11/2010, protestando contra o sigilo imposto pelo Centro de Referência Memórias Reveladas, criado em 13 de maio de 2009 pela então ministra chefe da Casa Civil da Presidência, Dilma Rousseff, com o aval do ministro da Comunicação Social Franklin Martins .
O Portal, segundo os seus idealizadores, foi criado pelo governo federal para reunir e divulgar os documentos sigilosos do regime militar, a fim de  proporcionar aos brasileiros o direito ao conhecimento da verdadeira história sobre as lutas políticas do período compreendido entre 1964 -1985. 
Segundo membros dos Direitos Humanos, membros do governo e ex- militantes de organizações subversivo-terroristas,  os militares se negam a fornecer seus arquivos às autoridades.
 Há anos sabe-se que esses arquivos estão à disposição do governo no Superior Tribunal Militar - STM - , onde se encontram todos os processos sobre  aquele período. A equipe de Dom Evaristo Arns usou e abusou de mais de 707 processos  da Justiça Militar, num total de 1 milhão de páginas para lançar o Brasil Nunca Mais, o que prova que os arquivos estão aí para serem consultados e abertos, além de outros orgãos que dispõem de farta documentação. Se houvesse interesse de membros do governo eles já teriam sido abertos.  
 Reforçando essa afirmação o historiador Carlos Fico, presidente substituto da Comissão de Altos Estudos do Memórias Reveladas em sua carta de demissão do cargo  escreve:    “não obstante o Brasil possua um grande acervo documental sobre a ditadura já transferido para o Arquivo Nacional e arquivos estaduais — em tese disponível à consulta pública — sua pesquisa, muitas vezes, tem sido bastante dificultada”.
Na mesma carta,  ao coordenador geral da entidade, Jaime Antunes da Silva, Carlos Fico, segundo a mesma reportagem,  tomou a decisão "depois que o Arquivo Nacional passou a negar aos pesquisadores acesso aos acervos da ditadura “sob a alegação de que jornalistas estariam fazendo uso indevido da documentação, buscando dados de candidatos envolvidos na campanha eleitoral”.(...)"A documentação bloqueada nas últimas semanas, por causa da campanha eleitoral, integra os acervos do antigo Conselho de Segurança Nacional e da Divisão de Segurança e Informações do Ministério das Relações Exteriores."(...)
"Os gestores dos arquivos, sustenta o historiador, demonstram receio de abrir os acervos e correr o risco de responderem judicialmente por ferir, com o mau uso dos papéis, o direito à privacidade, à imagem e à honradez."(...)
"Em agosto no Superior Tribunal Militar, o processo que levou a presidente eleita, Dilma Rousseff, à prisão na ditadura foi retirado dos arquivos e trancado num armário por ordem do presidente do órgão, Carlos Alberto Marques Soares".
Preocupação que não teve a equipe de Dom Evaristo Arns , quando publicou , no Brasil e no exterior, declarações feitas por pessoas processadas pelos mais diversos crimes, como assaltos, sequestros atentados terroristas e assassinatos, que aliás foram omitidos na mesma obra. Para essa equipe, composta por participantes  ou simpatizantes da mesma ideologia, esses crimes  jamais existiram. 
Tem razão o professor Fico quando alega que: “não podem os arquivos brasileiros arvorarem-se em intérpretes do direito à privacidade e arbitrarem  se este ou aquele documento agride a honra ou a imagem de alguém”.
Criamos uma seção neste site (www.averdadesufocada.com)   com o mesmo título " Memórias Reveladas ", com dados tirados do "Livro Secreto do Exército", como a mídia intitula o Projeto  Orvil , onde publicamos dados sobre organizações , pessoas e atos cometidos no mesmo período e  a motivação para a luta armada. São dados inexistentes no Portal.
Há anos lutamos para que esses arquivos sejam abertos, mas aberos completos, sem censuras , afinal, tantas privacidades , tantas honras e imagens já foram denegridas, por que o privilégio para alguns? Se alguns podem acusar, sem que exijam provas , por que outros têm seus crimes omitidos? Por que omitir a  principal motivação para  o início da luta armada?.
Abram esses arquivos de uma vez por todas . Chega de livros com títulos apelativos , como " Direito à Memória e à Verdade", de criação de comissões que escondem os fatos, como a Comissão da Verdade!...de portais como o Memórias Reveladas que mais oculta do que revela!...
Mostrem as suas verdadeiras caras! “

Comentários  
#1 Valdeke Silva 04-04-2015 18:00
Ora, se é para omitir e distorcer os fatos, para que abrir os arquivos? Deixem que a farsa continue.
Adicionar comentário