MST ocupa fazendas de Maggi, de amigo de Temer e de Ricardo Teixeira
Segundo o MST, a ocupação das terras faz parte da jornada nacional de luta pela reforma agrária com o lema "Corruptos, devolvam nossas terras!"
Terra  -25/07/2017  -  Agência Estado
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) divulgou comunicado no qual informa ter ocupado terras do Grupo Amaggi, pertencente à família do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e a fazenda Esmeralda, registrada como sede da empresa Argeplan (Arquitetura e Engenharia Ltda), do empresário João Baptista Lima Filho, amigo do presidente Michel Temer.
No mesmo dia, mais de 300 famílias ligadas ao grupo ocuparam a fazenda Santa Rosa, no município de Piraí, região Sul Fluminense, propriedade que pertenceria ao ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) Ricardo Teixeira.
 

Guilherme Boulos, do MTST, finalmente encontra um teto para morar: a cadeia! Fonte: Folha

Detido nesta terça (17) durante uma reintegração de posse , o líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, afirma que desde a participação em um protesto em frente a casa do presidente Michel Temer, em São Paulo, no ano passado, a polícia “estava de olho em mim”.
A reintegração de posse aconteceu em um terreno, chamado Colonial, em São Mateus, na zona leste de São Paulo, onde cerca de 700 famílias ocupavam irregularmente a área.

Observ do site www.averdadesufocada.com: Lula e Guilherme Boulos - Velhos camaradas!...Velhos planos 

Segundo o colunista da Folha, os policiais informaram que ele estava sendo detido por incitação à violência, descumprimento de ordem judicial e por violência contra a polícia durante uma manifestação na porta da casa de Temer em São Paulo.

Detido nesta terça (17) durante uma reintegração de posse , o líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, afirma que desde a participação em um protesto em frente a casa do presidente Michel Temer, em São Paulo, no ano passado, a polícia “estava de olho em mim”.

A reintegração de posse aconteceu em um terreno, chamado Colonial, em São Mateus, na zona leste de São Paulo, onde cerca de 700 famílias ocupavam irregularmente a área.

Segundo o colunista da Folha, os policiais informaram que ele estava sendo detido por incitação à violência, descumprimento de ordem judicial e por violência contra a polícia durante uma manifestação na porta da casa de Temer em São Paulo

Ora, a polícia deveria não só estar de olho, mas ter prendido esse marginal faz tempo! E o simples fato de a Folha, o maior jornal do país em tiragem, parecer ter orgulho de estampar que um bandido é seu colunista mostra o baixo nível em que chegou a nossa imprensa.

Em qualquer país sério Boulos já estaria preso por seus crimes. No Brasil, ele ganha coluna no maior jornal em circulação. Ele é premiado, e não só com isso, mas com medalhas do Congresso. É um país todo invertido mesmo, com valores distorcidos por décadas de hegemonia da esquerda.

Esquerda esta que já saiu em defesa do seu comparsa, claro. O queridinho da esquerda caviar maconheira, Marcelo Freixo, já se manifestou em sua rede social:

Prisão absurda de Guilherme Boulos

O companheiro Guilherme Boulos, membro da coordenação nacional do MTST, que estava acompanhando a reintegração de posse da ocupação Colonial, visando garantir uma desfecho favorável para as mais de 3000 pessoas da ocupação, acaba de ser preso pela PM de São Paulo sob a acusação de desobediência civil.

Observ do site www.averdadesufocada.com: Marcelo Freixo, Lula, Boulos e outros genéricos comunistas

Um verdadeiro absurdo, uma vez que Guilherme Boulos esteve o tempo todo procurando uma mediação para o conflito.

Neste momento, o companheiro Guilherme está detido no 49ª DP de São Mateus.

Não aceitaremos calados que além de massacrem o povo da ocupação Colonial, jogando-os nas ruas, ainda querem prender quem tentou o tempo todo e de forma pacífica ajuda-los.

Não aceitaremos mais calados também tanta distorção desses canalhas! A “mediação” que essa turma defende é aquela à base da intimidação, da violência, da imposição, da agressão. São marginais, defendem bandidos mascarados como os black blocs, invasores de propriedade alheia, tudo em nome da “justiça social”, um tremendo engodo.

A população de bem acordou hoje com uma boa notícia: a prisão de Boulos. Já os marginais da esquerda lamentam, como era de se esperar. Falta Suplicy aparecer por lá para protestar, ou Maria do Rosário, que jamais derramou uma só lágrima por policiais mortos por bandidos, sair em defesa do “companheiro”.

O Brasil está claramente dividido: de um lado, as pessoas decentes que defendem as leis, que devem ser válidas para todos; do outro, os “revolucionários” do PT, PSOL, PCdoB, MST, MTST, UNE e CUT, que nunca respeitaram a democracia, as leis, a Justiça, pois se sentem acima disso tudo com sua retórica socialista fedendo a naftalina, totalmente retrógrada.

A PM está de parabéns por finalmente oferecer um teto a esse sujeito. Que ele possa habitar essa “residência” por muito tempo, pois é o lugar mais adequado para invasores comunistas.

Rodrigo Constantino

 

Dilma cancela, mas Lula vai insuflar os militantes no acampamento
Lula foi dar uma força aos militantes dos movimentos sociais
Tânia Monteiro e Isadora Peron - Estadão
Na véspera da votação da abertura do impeachment no plenário da Câmara, a presidente Dilma Rousseff cancelou a visita que faria na manhã deste sábado ao Ginásio Nilson Nelson em Brasília, onde se encontraria com representantes dos movimentos sociais que são contra o seu afastamento. Dilma quer dedicar o dia à consolidação de seus votos e por isso vai ficar recebendo, no Palácio da Alvorada, líderes de vários partidos, um a um. “A presidente achou que, neste momento, é mais importante ela receber os líderes e manter o radar para amanhã (domingo)”, disse um interlocutor de Dilma.

Impeachment - Portal Terra - 08/09/2016
MST invade fazenda de senadora que votou por impeachment
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupou, na madrugada de hoje (8), a fazenda Saco de Bom Jesus, que é, segundo informações da assessoria do movimento, "ligada" à senadora Ana Amélia (PP-RS). Cerca de 300 pessoas ocupam a propriedade, que fica no município de Formosa, em Goiás. 
        A  senadora  diz  que  o  MST  invadiu  a  fazenda em  retaliação  por  ela  ter  votado  a  favor  do    impeachment de Dilma 

Líder do MTST alerta que haverá "resistência" em caso de impeachment

Portal Terra 1504/16 - 
O líder do Movimento dos Trabalhadores sem-teto (MTST), Guilherme Boulos, alertou nesta sexta-feira que haverá uma "resistência muito forte" contra o que chamou de "golpe de Estado" que visa o impeachment da presidente Dilma Rousseff, embora também tenha se mostrado contra a política do governo e a considere "indefensível".
Pelo menos 25 estados têm atos contra impeachment de Dilma
Movimentos sociais vão às ruas em meio a tensões com grupos pró-impeachment
Em entrevista à Agência Efe, Boulos ressaltou que o MTST não está nas ruas para defender Dilma, mas para protestar contra o "golpe" e contra o que alega ser "uma escalada de intolerância fascista que ameaça a democracia".