23/05/13 - Por que mataram meu pai?
"Ent
Todd, o filho de Chandler  e seu filho
revista o filho do Capitão Charles Rodney Chandler
Morando na Flórida, pai de três filhos, bancário, Todd Chandler concedeu entrevista a ZH sobre o assassinato do Capitão do Exército americano  Charles Chandler, em São Paulo, há 37 anos:
Zero Hora - O que o senhor lembra do crime?
Todd Chandler - Lembro os sons dos tiros e de correr para fora de casa para testemunhar os últimos momentos. Eles atiraram no meu pai quando ele estava dando marcha a ré no carro.
ZH - Como sua família enfrentou a tragédia? 
Todd - Voltamos para os Estados Unidos em um avião militar, com o corpo. Minha mãe ficou profundamente afetada. Isso ainda assombra ela.
ZH - Como o senhor superou a morte do pai?
 
Todd - Nunca superei. Na medida em que cresci e soube de mais detalhes do evento e sobre os participantes  dele,
Corpo de Chandler crivado
de balas.
 fiquei com muita raiva. Se acontecesse hoje, as conseqüências seriam drasticamente diferentes.
 
ZH - Como é a imagem de Chandler no seu país?
 
Todd - O mais surpreendente é que, fora da família, ninguém parece lembrar do meu pai. Se o fato acontecesse hoje, certamente seria um
João Carlos Kfouri Quartin de Moraes
acontecimento internacional.
 
ZH - Como o senhor cultiva a memória de seu pai?
 
Todd - Vejo ele todos os dias. As pessoas falam que pareço com ele. Então, quando me olho no espelho, tento imaginar como seria se ele estivesse vivo e bem na minha idade.
 
ZH - Como era o seu pai, a carreira militar dele?
 
Todd - Meu pai nasceu e foi criado numa cidade muito pequena da Louisiana. Sua família ainda vive nessa área. Eles eram considerados relativamente pobres, e a família tirava seu sustento da agricultura. Quando ele foi aceito em West Point, foi uma honra tremenda para a família e para toda a cidade. Ele fez carreira nas forças armadas e serviu em diferentes países. Acho que chegamos ao Brasil em 1966 ou 1967.
 
ZH - Qual era a missão do seu pai no Brasil?
 
Todd - Não havia missão alguma. Pensem nisso: os EUA jamais mandariam a família civil com um oficial que estivesse em qualquer tipo de missão. Meu pai era um estudante. Não tenho a mínima idéia de por que ele foi o alvo.
 
ZH - Como o senhor se sente ?
 
Dulce de Souza Maia
Todd
- Sei que as coisas eram diferentes naquela época, mas adoraria ter a chance de perguntar: "por quê"? Não entendo por que eles tinham de levar meu pai e deixar a minha família destruída. Todos os dias algo me lembra que um homem foi morto sem razão e que, em sua maioria, os assassinos ficaram impunes. Charles Rodney Chandler"
 
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Morte do Capitão do Exército dos Estados Unidos - SP - 12/10/68
Herói na guerra com o Vietnã, veio ao Brasil para fazer o Curso de Sociologia e Política, na Fundação Álvares Penteado, em São Paulo/SP.
No início de outubro/68, um "Tribunal Revolucionário" condenou o capitão Chandler à morte, porque ele "seria um agente da CIA".
O "tribunal vermelho"  era composto pelos dirigentes da VPR
 Pedro lobo de Oliveira
 (Vanguarda Popular Revolucionária):
 Onofre Pinto (Augusto, Ribeiro, Ari),
João Carlos Kfouri Quartin de Morais (Manéco) 
Ladislas Dowbor(Jamil), condenou o capitão Chandler à morte, porque ele "seria um agente da CIA".
O capitão Chandler quando retirava seu carro da garagem para seguir para a Faculdade, foi assassinado, friamente, com 14 tiros de metralhadora e vários tiros de revólver, na frente da sua esposa Joan e seus 3 filhos.
Os levantamentos da rotina de vida do capitão foram realizados por Dulce de Souza Maia (Judite).
O grupo de execução era constituído pelos terroristas :
Pedro Lobo de Oliveira
(Getúlio);
Diógenes José de Carvalho Oliveira (Luis, Leonardo, Pedro);
e Marco Antônio Bráz de Carvalho (Marquito).
Observação do site www.averdadesufocada.com
Leia o depoimento de Pedro Lobo de Oliveira no Livro A Esquerda Armada no Brasil - Antonio Caso.
 


 

Compartilhe
 

Comentários   

 
0 #7 Felipe d-m-Y H:i
Mano isso e tragico mais fala pro povo do estados unido não virem pra cá pq eciste um tau de "PCC" eles é bandidos estão desposto a matar cualquer um
Citar
 
 
+1 #6 Helio Bogea d-m-Y H:i
Se pudéssemos organizar uma forma de fazer com que o filho do Cap Chandler pudesse, entre outros vitimados pelos grupos MAOISTAS, os quais a DILMA integrava, acredito que são mais de 100 entre JUSTICADOS,ASSA SSINADOS, TORTURADOS e MUTILADOS,..com o disse, se pudéssemos organizar uma forma de fazer com que comparecessem nessas audiências publicas da CNV,...seria uma forma de ACABAR, de vez com esse CIRCO, essas FARSA HIPOCRITA...Acr edito que nem olhar nos olhos de pessoas, como o filho do Cap Chandler, esses palhaços da CNV teriam coragem...ESTAM OS MUITO PASSIVEIS, DIANTE DESSE TEATRO MONTADO PARA ENGANAR O POVO...A COMISSAO DA VERDADE SUPPREMA, tipo o ministério lah da Coreia do Norte...MINISTE RIO DA VERDADE SUPREMA.
Citar
 
 
+1 #5 Eduardo Henrique d-m-Y H:i
Acredito ser mais do que justo que Todd entre com um processo contra o Estado Brasileiro e exija uma enorme indenização pelo que sofreu e sofre, ele e sua mãe.
Citar
 
 
+2 #4 Ferreira Pena d-m-Y H:i
Os nomes citados são de notórios bandidos! Esse Ladislas Dowbor é o que os esquerdistas consideram um intectual. Safado e sem limites, nunca pagou pelo crime de condenar um inocente.
Citar
 
 
+7 #3 Azambuja d-m-Y H:i
Quero saber o que a Omissão da Verdade tem a dizer sobre isso!
Citar
 
 
+7 #2 Mari d-m-Y H:i
Dá nojo olhar na cara destes indivíduos. provavelmente, foram beneficiados com poupudas indenizações. Deveriam se envergonhar de receber qualquer benefício por tirar a vida de um cidadão covardemente, e deixar uma família destruída. A CADA DIA, SINTO MAIS NOJO DESTA CNV.
Citar
 
 
+8 #1 Azambuja d-m-Y H:i
Essa matéria deveria ser mandada para a (C) Omissão da Verdade. alguns dos que mataram Chandler estão aí, em liberdade, anistiados. Este é o Brasil...
Citar
 

Adicionar comentário


Cdigo de segurana
Atualizar