A Verdade Sufocada, o Livro Imprimir E-mail
Notícias - Vale a pena ler de novo

1 - averdadesufocada @ terra.com.br ou telefone (61) 3468-6576
2 - LivrariaBrasil.Net
3 - Permanencia.org.br
4 - Livraria Cultura (Brasília, SP, Porto Alegre, Salvador, RJ e Recife)

 
ALERTA A NAÇÃO ! ASSINE ! Imprimir E-mail
Notícias - Doutrinação

O manifesto “ALERTA À NAÇÃO”, por decisão do seu responsável, encerrou o recebimento de apoios, tão logo foi considerado ter cumprido, com sucesso, a sua finalidade. Entretanto,  não cessaram, até hoje, de forma contínua, os envios de apoios, quer de militares quer de civis.
Atualmente, em face do incremento da gravidade da situação de descalabro político e moral que permeia os poderes da República e da respectiva insatisfação e reação crescente de grande parcela da sociedade mais esclarecida,o volume de apoio ao manifesto vem aumentando significativamente.Assim para dar uma resposta a essas vozes, que exigem o fim de tais descalabros, resolvemos reativar o grito de "Alerta À Nação", recebendo e publicando no site www.averdadesufocada.com os apoios recebidos.Se o desejar assine nos comentários ou mande seu nome para o e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.  .

ELES QUE VENHAM.POR AQUI NÂO PASSARÂO! 

Atenciosamente
A editoria do site

 

 
MANIFESTO (Atualizado em 09/06/2012 21:59hs) Imprimir E-mail
Notícias - Forças Armadas
 
01/09/14 - Compare Imprimir E-mail
Notícias - Política interna

 
01/09/14 - A precarização salarial das Forças Armadas brasileiras Imprimir E-mail
Notícias - Forças Armadas


De todas as instituições imbuídas constitucionalmente de garantir a paz social e a segurança pública, as Forças Armadas são as mais defasadas, seja em termos de progressão na carreira, seja na questão de moradia ou em questões salariais.

Jefferson Gomes Nogueira*

É recorrente o envio de tropas do Exército, da Marinha e da Aeronáutica em apoio aos estados brasileiros para as mais diversas demandas. Depois da atuação das Forças Armadas antes, durante e depois da fatídica Copa das Copas, em que centenas de militares ficaram meses longe de seus familiares para garantir o sucesso daquele evento, necessário se faz colocar na agenda dos presidenciáveis a questão da defasagem salarial que vitima essa categoria social há anos.

Numa comparação rápida no portal da transparência do governo federal pode-se constatar a disparidade salarial existente entre o Ministério da Defesa e outros órgãos de segurança pública do País, sejam eles estaduais ou federais.

 
01/09/14 - MARINA: A MARIONETE DA VEZ Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

Sérgio Alves de Oliveira

Tenho acompanhado com vivo interesse  no “Alerta Total” a insistente suposição de que as eleições que se avizinham estariam sendo manipuladas,fraudulentamente,tanto  nas pesquisas,quanto na futura apuração eletrônica das urnas. Assim os “resultados” da apuração não trariam nenhuma surpresa em  relação às pesquisas. Seria só “empossar”o vencedor.Com naturalidade.

O “ajuste” entre as pesquisas e o resultado das eleições já viria “amaciado”,ou seja,em índices menores do que deveriam ser originalmente,em vista da “migração” de eleitores INDUZIDOS por essas pesquisas para a chapa “vencedora”. Essa tendência,na verdade covarde,é da natureza humana dos fracos. Sempre é mais cômodo e seguro ficar ao lado do “vencedor”. As fraudes,portanto,estariam  nas forças psicológicas que induzem o voto e na própria apuração eletrônica,previamente planejada. Qualquer um sabe que a eletrônica permite esses “manuseios”.

 
01/09/14 - PARA ONDE VAMOS? Imprimir E-mail
Notícias - Diversos

Cel Cav Flávio Acauan Souto

Começou com a Venezuela. Pobre país! O tenente coronel Hugo Chavez, quando tudo indicava que pudesse surgir como um novo Peron, talvez um Vargas, preferiu trafegar na linha vermelha do bizarro socialismo bolivariano, como ele o batizou. Comprou briga com os norte-americanos, a quem chamou de carrascos imperialistas (ainda que não o incomodasse os carrascos continuarem comprando o seu petróleo) y otras cositas más. Completou essa magistral idiotice com outras cartadas de igual insanidade, como a submissão aos inadimplentes Fidel e seu irmão, inclusive com o aporte de farta mesada, o apoio às Farc, incluindo o governo da Colômbia no rol de seus inimigos, além da farta distribuição de petrodólares a Cuba, à Bolívia e a outros menos votados. Tudo por se achar obcecado pela implantação, inicialmente na área andina, da falácia comunista disfarçada sob o poncho de Simon Bolivar, a quem foi perturbar na tranquilidade de sua tumba. Não poderia ter sido outro o resultado: quebrou, literalmente, a pátria de El Libertador. Sua morte, fecho tragicômico da opereta caribenha de que foi protagonista, chorada por uns e aplaudida pelos demais, foi um grande serviço prestado ao povo de seu país... Alguém acredita que esse governo vagabundo do Maduro vai se sustentar em uma nação falida, em todos os sentidos? Sem dispor do pão e sem levar o mínimo jeito para o circo, no que o seu padrinho – agora virado em diáfano pajarito – era rematado mestre?

 
01/09/14 - Militantes de Marcel e Maria do Rosário batem boca na Redenção Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

    

Local preferido de 10 entre 10 candidatos a qualquer cargo público no RS,a Redenção foi o cenário da primeira disputa eleitoral de forte caráter ideológico protagonizada neste domingo pela ex-ministra Maria do Rosário e pelo estreante Marcel Van Hatten. Rosári, PT, disputa novo mandato na Câmara e Marcel quer ser deputado estadual pelo PP.

. Está tudo gravado.

. Foram cenas de duro enfrentamento público, com direito a megafone, gritos dos dois lados e até ameaças físicas. O deputado Oliboni, PT, que acompanhava Rosário, que preferiu bater em retirada, apaziguou os ânimos dos dois lados.


. Eis a versão de Marcel, contada no seu Face:
Não me aguentei. Eu estava com minha família e amigos tomando chimarrão na Redenção e apresentando minhas propostas a quem passava quando vi Maria do Rosário fazendo campanha. Não me aguentei, mesmo! Disse algumas verdades para Maria do Rosário, defensora da bandidagem, que deu no pé ligeirinho. Na época de campanha aparecem, mas fogem quando são confrontados com a realidade – e deixam a militância para nos hostilizar e tentam nos impedir até mesmo de falar! Assista ao vídeo!
Mas não é só em praça pública que nos hostilizam. O PT e Maria do Rosário batem em nós TODOS os dias. Tomam nosso dinheiro por meio de impostos extorsivos para financiar um projeto totalitário e beneficiar seus aliados. Tiram sarro da cara do trabalhador, do cidadão de bem, tratam bandidos como se fossem coitadinhos, vítimas da sociedade. E ainda financiam, com o NOSSO dinheiro, ditaduras como a de Cuba. Chega! Não nos calaremos!

Postado por Polibio Braga
Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no OrkutCompartilhar com o Pinterest

 

 

 
31/08/14 - "As Bolsas Plebiscito de Dilma e Marina", Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

Elio Gaspari
O Globo – 31/08/2014 

Marina Silva merece todos os aplausos. Anunciou em seu programa o que pretende fazer se for eleita. Ela quer criar uma "democracia de alta intensidade". O que é isso, não se sabe. Lendo-a vê-se que, sob o guarda chuva de uma expressão bonita –"democracia direta"–, deseja uma nova ordem constitucional.Apontando mazelas do sistema eleitoral vigente, propõe outro, plebiscitário, com coisas assim: "Os instrumentos de participação –mecanismos de participação da democracia representativa, como plebiscitos e consultas populares, conselhos sociais ou de gestão de políticas públicas, orçamento democrático, conferências temáticas e de segmentos específicos– se destinam a melhorar a qualidade da democracia." 

 Marina parte da premissa de que "o atual modelo de democracia (está) em evidente crise". Falta provar que esteja em crise evidente uma democracia na qual elegeu-se senadora, foi ministra e, em poucas semanas, tornou-se virtual favorita numa eleição presidencial. Ela diz que nesse país em crise "a representação não se dá de forma equilibrada, excluindo grupos inteiros de cidadãos, como índigenas, negros, quilombolas e mulheres". Isso numa eleição que, hoje, as duas favoritas são mulheres, uma delas autodefinida como negra. 

 
31/08/14 - Recessão e outros problemas no palanque de Dilma Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

EDITORIAL
O GLOBO - 31/08/2014
A retração da economia no primeiro semestre se torna mais grave quando se constata que, no segundo trimestre, houve grande queda nos investimentos

Se fosse possível, os responsáveis pelas campanhas de Dilma e Aécio eliminariam do calendário a semana que passou. Não teriam a má notícia da lépida subida de Marina Silva na última pesquisa do Ibope, confirmada na noite de sexta pelo Datafolha. E a presidente e candidata à reeleição, em particular, escaparia do dissabor de manchar a biografia com a primeira recessão da economia brasileira desde o último trimestre de 2008. A queda de 0,6% do PIB no segundo trimestre em relação ao primeiro — quando já houve uma retração de 0,2%, numa sequência que configura a recessão — consolida, por enquanto, a expectativa do mercado de que a economia não deve conseguir crescer sequer 1% este ano.

 
31/08/14 - Acende-se na escuridão do caos a lanterna da esperança! Repito! Imprimir E-mail
Notícias - Diversos

Gen Bda Paulo Chagas

Caros amigos

O caos, como já previam os mais atentos, nos deve livrar da onda socialista que assola a América Latina, desde a criação do Foro de São Paulo. Assim tem sido ao longo da história, a contar de 1917, quando a "revolução" implantou o comunismo na Rússia. Lá, a fome, a miséria e a escravidão chegaram logo, mas o caos só atingiu a todos, de forma insustentável, setenta anos após.

Os socialistas chegam enganando quase todo mundo e conquistam o poder, normalmente, de forma revolucionária, pela força das armas e da ilusão de uma massa de excluídos, e, eventualmente, pelo voto, principalmente, desse mesmo grupo de eleitores e de alguns oportunistas que se julgam espertos.

 
31/08/14 - MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL & ANISTIA Imprimir E-mail
Notícias - Anistia

 Por  A. C. Monteiro 

                        Já escrevi a respeito e procurei dar ampla divulgação sobre o assunto, mormente no que pertinente à atuação do Ministério Público Federal, na tentativa de revisar a Lei da Anistia, de forma a excluir os crimes de tortura pseudamente praticados pelos agentes do Estado e, com isso, responsabilizá-los civil e penalmente, sob o estapafúrdio e inaceitável argumento de que esses delitos são imprescritíveis, portanto, não acobertados pela lei em comento.

                        Alguns procuradores que se dizem donos da verdade, e que se julgam estarem acima da lei e até mesmo do Supremo Tribunal Federal, não atuam como verdadeiros “custos legis”. Preferem simplesmente pautarem-se como meros acusadores e, muitos dos quais se arvorando no direito de fazer às vezes dos magistrados, emitindo conceitos e pareceres conclusivos que somente a estes lhes são devidos.

 
30/08/14 - Proposta messiânica Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

 Jonas Lezziero
 Desde a morte de Getulio Vargas a exatos 60 anos, o povo brasileiro está permanentemente a procura do messias, do reformador, do pretenso reformador social, aquele que irá num passe de mágica resolver todos os problemas e minorar o sofrimento da população, da massa ignara e sofrida que habita as periferias das grandes cidades  aos sertões deste enorme país.
Juscelino resolveu encarar o desafio, beneficiando-se da infraestrutura instalada no país por Vargas, ele implantou seu plano de metas e propiciou a arrancada para a industrialização, porém a inflação galopante corroeu os devidendos políticos obtidos por ele e na esteira da insatisfação popular surgiu Jânio Quadros, o primeiro messias, com um discurso populista e com propostas de impacto junto ao eleitorado elegeu-se presidente em 1960 com mais de 5 milhões de votos. Depois de ter cumprido uma carreira política meteórica, indo de vereador a presidente da República, sendo eleito deputado estadual, prefeito de São Paulo e governador do Estado, chegou ao Palácio do Planalto como o primeiro presidente empossado na nova capital Federal. Depois de pouco mais de 6 meses no cargo, renunciou ao mandato no dia 25 de agosto de 1961, lançando o país numa crise político-institucional gravíssima. Nos 6 meses em que esteve na presidência Jânio baixou decretos proibindo o uso de biquinis nas praias, proibiu a briga de galos, as realizações de corridas de cavalos no Jockey Club e também condecorou Che Guevara com a Ordem do Cruzeiro do Sul em Brasília. Assim terminou o mandato do primeiro messias, que não cumpriu nada do que prometera.

 
30/08/14 - Sem Terra – Um movimento subversivo Imprimir E-mail
Notícias - Política interna

Por Carlos I. S. Azambuja
Algumas manchetes de jornais, segundo o site “Paz no Campo”: 
 - MST : 2 milhões de militantes e 1.800 escolas
 - 200.000 crianças no Brasil aprendem no livro vermelho de Mao
 - País terá graduação para assentados
 - Graduação na USP só para aluno assentado
 - MST forma professores e prega luta
 - Projeto (para professores da roça) é inspirado em graduação para sem-terra.

 
30/08/14 - A onda se forma Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

Por Merval Pereira - O Globo - 30/08/14
Ontem deve ter sido o dia mais difícil da presidente Dilma nos últimos tempos, só teve notícia ruim. Pela manhã, o anúncio oficial de uma recessão econômica, à noite a pesquisa Datafolha no "Jornal Nacional" anunciando o que a maioria já previa: Marina Silva alcançou-a no primeiro turno, preparando a ultrapassagem previsível nas próximas sondagens, e tem vitória confirmada no segundo turno por dez pontos de vantagem.
Para o tucano Aécio Neves, sobra a constatação de estar no lugar certo no momento errado, pois antes do acidente trágico que matou o ex-governador Eduardo Campos tinha condições de chegar ao segundo turno, e até mesmo ganhar a eleição.
Preparado para uma disputa que tinha como mote o fim da era PT, de repente o candidato do PSDB foi atirado em meio a uma nova eleição, que abriu outra perspectiva eleitoral, com o mesmo sentido mas com outros ingredientes: a emoção superando a razão, os símbolos ganhando dimensões de realidade, trocada pelos sonhos.

 
30/08/14 - Caros amigos Imprimir E-mail
Notícias - Política interna

Gen Bda Paulo Chagas 
A Nação brasileira tem sido vítima de uma inteligente estratégia de construção de um pensamento hegemônico, batizado de “politicamente correto”. A partir da escola e da mídia, ela invade nossos lares, buscando intimidar-nos e acovardar-nos, rotulando de retrógrados e maçantes todos aqueles que, ao não se permitirem a contaminação, insistem em contrapor-se ao processo. 
Trata-se da criação e da difusão de interpretações uniformes e convenientes de idéias e fatos, fazendo com que as pessoas aceitem como corretas apenas as versões apresentadas pelos que têm o cinismo e o poder para disseminá-las. É a massificação do conhecimento, de forma a tornar mais cômodo pensar como querem seus ativistas, porque este passa a ser o “pensamento de todos”.

 
30/08/14 - O purgante (A Chegada do Khmer Verde Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

Meus caros,O purgante (A Chegada do Khmer Verde)
Meus caros,
Pericles da Cunha
O que mais me preocupa neste tsunami deflagrado pela tragédia com Eduardo Campos é o messianismo que a Marina representa em um momento da vida nacional dominado por uma perigosa lassidão moral em que o escândalo do dia faz esquecer os outros e por uma não menos perigosa descrença total com a classe política o que leva a pensar que a saída esteja na escolha de uma figura messiânica com a da Marina para liderar uma democracia direta com a exclusão dos políticos que dominam o parlamento. Agora mesmo José Dirceu cunhou a expressão “Marina é o Lula de saia” porque vê nela a força eleitoral de Lula em 2002 quando a origem humilde de Lula se juntou ao desejo de mudança da maioria dos eleitores. E aposto como a maioria do PT pensa como Dirceu.

 
30/08/14 - Recessão e incompetência Imprimir E-mail
Notícias - Política interna

-
Editorial - O Estado de São Paulo - 30/08/14
stá confirmado oficialmente: a presidente Dilma Rousseff conseguiu levar o Brasil a uma recessão, com dois trimestres consecutivos de produção em queda. Depois de encolher 0,2% no primeiro trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) diminuiu mais 0,6% no período de abril a junho. Mas o governo, além de trapalhão, foi criativo na incompetência. Enfiou a economia brasileira no atoleiro enquanto os países desenvolvidos, com Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido à frente, começavam a vencer a crise. Mas quem, na cúpula federal, se dispõe a reconhecer o desastre e sua causa, o rosário de erros agravados a partir de 2011? A presidente Dilma Rousseff e seus ministros continuam culpando o mundo pelo desempenho brasileiro abaixo de pífio. Esse mundo malvado só existe como desculpa chinfrim para um fiasco indisfarçável. O comércio internacional voltou a crescer, a China continua comprando um volume enorme de matérias-primas e até os países mais afetados pela crise global, como Espanha, Portugal e Grécia, saíram da UTI e estão em movimento. Mesmo em desaceleração, outros emergentes estão mais saudáveis que o Brasil.

 
30/08/14 - Pânico na elite vermelha Imprimir E-mail
Notícias - Eleições

Guilherme Fiuza - O Globo - 30/08/14
Armínio Fraga foi o comandante da etapa de consolidação do Plano Real — a última coisa séria feita no Brasil
Pela primeira vez em 12 anos, os companheiros avistam a possibilidade real de ter que largar o osso. Nem a obra-prima do mensalão às vésperas da eleição de 2006 chegara a ameaçar a hegemonia dos coitados sobre a elite branca. A um mês da votação, surgem as pesquisas indicando que o PT não é mais o favorito a continuar encastelado no Planalto. Desespero total.Pode-se imaginar o movimento fervilhante nas centrais de dossiês aloprados. Há de surgir na Wikipédia o passado tenebroso dos adversários de Dilma Rousseff. Logo descobriremos que foram eles que sumiram com Amarildo, que depenaram a Petrobras, que treinaram a seleção contra os alemães. É questão de vida ou morte: como se sabe, a elite vermelha terá sérias dificuldades de sobrevivência se tiver que trabalhar. Vão “fazer o diabo”, como disse a presidente, para ganhar a eleição e não perder a gerência da boca.

 
29/08/14 - Marina, no Acre, foi um fracasso! Imprimir E-mail
Notícias - Eleições


Na eleição para presidente da República, em 2010, Marina foi, em seu berço natal e político, o Estado do Acre, a terceira colocada no primeiro turno, quase empatando com a Dilma e perdendo de goleada para o então candidato José Serra.
 Qual o motivo? Será que no Acre o povo a conhece como de fato é: arrogante e fraca para ocupar um cargo majoritário.
 Vejam os percentuais de votos:
 
 Eleição de 2010 - Presidente da República (ACRE)- 1º Turno
 
 - 1º lugar: JOSÉ SERRA, com 52,13 % dos votos
 - 2º lugar : DILMA ROUSSEFF, com 23,92 % dos votos
 - 3º lugar: MARINA SILVA, com 23,45 % dos votos
 
Por favor, diga NÃO ao PT, com suas duas candidatas.

 
Mais Artigos...
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 533